O atual cenário de enfrentamento à pandemia tem apresentado novos desafios para a comunidade escolar. Com o isolamento social, foi necessário criar novas estratégias de acompanhamento dos estudantes e, assim, superar momentos desafiadores no processo de ensino-aprendizagem. O envolvimento dos integrantes da família é fundamental nesse processo, ao estabelecer normas claras e indicar ambiente tranquilo e adaptado para que o aluno sinta-se motivado.

                O dia a dia de pais e responsáveis tem sido bem desgastante. A exemplo do que ocorre com Aline Barros, mãe de dois estudantes do Marista, que tem se desdobrado para dar conta das atividades diárias. “A gente tinha uma rotina, cada coisa acontecia em um lugar diferente: trabalho, escola das crianças, prática de atividade física, supermercado etc. Agora, tudo está dentro de casa. Imagine para as crianças, que gostam e precisam de espaço”, destacou Aline, mãe de Rafael e Gustavo Rafael, de 5 e 11 anos, respectivamente.

               Segundo ela, depois de mais de três meses em casa, o “novo normal se estabeleceu” se estabeleceu. O mais velho está no 6º ano, acorda numa boa, toma o café da manhã, participa das aulas e ainda tem os encontros da catequese às quartas- feiras. De acordo com Aline, ele tem dado conta com bastante autonomia. “Acompanhamos o processo de evolução e superou a expectativa”, destaca a mãe.

          Já para o Rafael, de cinco anos, que está no 2º ano da Educação Infantil, existe a necessidade de acompanhamento mais próximo e ações com supervisão de adultos. “Para o momento certo de abrir o microfone para falar, minimizar falas alheias à aula e tentar focar o máximo possível nas atividades. Às vezes, basta um passarinho cantar mais alto perto da janela para ele se distrair”, pontuou Aline.

                Na visão dela, os pais precisam estar ainda mais presentes nas aulas on-line, mesmo trabalhando em casa. “Neste sentido, queremos reforçar o agradecimento pelo apoio e parceria família-escola, pois, juntos, avançamos no desenvolvimento pleno de crianças e adolescentes, respeitando os limites e incentivando as habilidades”, ressaltou Aynara Gaia, vice-diretora educacional do Colégio Marista Nazaré, em Belém (PA).

                Assim, com o objetivo de reforçar as orientações já traçadas às famílias, enfatizamos algumas dicas do Programa Pedagógico de Aprendizagem para o acompanhamento às aulas on-line:

  • Atenção com os horários: continuem atentos aos horários das aulas da série do seu filho e estimulem a participação nas aulas. Recomendamos ingressar com, no mínimo, 5 minutos de antecedência, para que o estudante interaja com os colegas e professores antes da aula começar. Acreditamos que a ação possibilita maior envolvimento e interesse das crianças com as aulas.

  • Usar roupas adequadas: estar em casa não significa que a criança deva ficar desleixada ou de pijama o dia todo. Estar no conforto do lar, muitas vezes, gera certa preguiça e falta de atenção. Por isso, estar vestido de forma adequada pode ajudar o aluno a se engajar de maneira mais produtiva nos dias de quarentena. Sendo assim, ressaltamos o uso do uniforme diário durante as aulas.

  • Fique atento ao ambiente: organize o ambiente de aprendizagem! Ele é essencial para favorecer o envolvimento, a atenção seletiva/sustentada (concentração) e a compreensão, por parte do estudante, de que tal momento é destinado ao estudo. Dê preferência aos espaços distantes de interferências e disponibilize materiais escolares para fácil acesso das crianças.

  • Ajude quando necessário: para as crianças é importante a supervisão de um adulto durante as aulas, no auxílio do uso da tecnologia. Durante a aula, é solicitada a participação por meio de áudio e vídeo. Nesse momento, é necessário o apoio a elas, na utilização da plataforma. Ressaltamos que deve ser dado somente em caso de necessidade.

  • Frequência nas aulas: solicitamos a manutenção da frequência regular do estudante, para que não aconteçam interrupções no processo de ensino-aprendizagem e acompanhamento pedagógico. As videoaulas ficam gravadas para futuras visualizações.

  • Vínculo afetivo: sempre que possível, fortaleça o vínculo afetivo e de confiança entre a criança e a escola, pois, apesar de estarmos em aulas remotas, o cuidado com o emocional precisa ser preservado.

  • Avaliações: durante o processo avaliativo, assim como na rotina presencial, é importante administrar a ansiedade de pais e estudantes. Outro ponto importante a ser trabalhado é a prática da ética e da responsabilidade. Sendo assim, solicita-se que o estudante tenha autonomia durante a execução desse instrumento, tendo os pais/responsáveis como espelho de ações e atitudes.
2 Comments
  1. Ligia Novo

    O que ajudaria muito os pais dos alunos do fundamental, no meu caso 2 ano e 4 ano, eram mais horários pra buscar as fichas que serão usadas nas aulas, pois nem todos tem em casa impressora fácil e há somente um horário disponível em 1 semana toda. No caso do 4 ano, só segunda de manhã.
    Os pais estão exercendo duplas funções de acompanhamento escolar e ainda trabalham pras empresas(mesmo on-line) pra honrar com os compromissos e nem sempre
    conseguem pegar no horário determinado, visto também que somente é disponibilizado 1 horário em 1 semana inteira, muito poucas chances de se entregar o material necessário a aula, forçando o aluno a não acompanhar tão facilmente.
    Solicito preparar a coordenação do infantil pra acolher demandas fora do previsto e não apenas dizer é segunda e pronto!
    Mãe de alunos da escola

    • Prezada Lígia, boa tarde!
      Informamos que estamos enviando as considerações apresentadas para a equipe pedagógica do Colégio.
      Agradecemos o contato!
      Atenciosamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar