Colégio e escolas, naturalmente, concretizam as ações que desenvolvem com o auxílio e a presença ativa dos pais e responsáveis no processo educativo dos estudantes. É a perfeita definição de trabalho em equipe.

         Na nova rotina on-line, determinada pelo isolamento social, a parceria escola-família ampliou de proporção nas unidades maristas. O formato virtual abriu espaço para experiências às quais educandos e famílias buscam se adaptar, e enxergar as oportunidades do ensino-aprendizagem contínuo e remoto.

         Para que as aulas on-line tenham o máximo de eficácia, educadores têm se reinventado, qualificado e inovado. A fim de que a interação com entre eles e quem está do outro lado do computador ocorra da melhor maneira possível, há algumas atitudes que pais e responsáveis podem adotar no estímulo de crianças e adolescentes para os estudos. Confira algumas delas:

 

Organize um ambiente de aprendizagem

         Incentive seu filho a criar um espaço para vivenciar a rotina escolar e dê preferência a locais tranquilos, bem iluminados e distantes de interferências ou distrações. De acordo com Niane Oliveira, psicóloga e orientadora educacional, “esse ambiente é essencial para favorecer o envolvimento, a concentração e a compreensão, por parte do estudante, de que tal momento é destinado ao estudo”.

 

Monte uma rotina de estudos

         Determine a participação do educando nas aulas on-line, no mesmo horário em que ele estuda presencialmente. Porém, nos dias em que ele tiver a impossibilidade de acompanhar, é importante assistir às aulas gravadas. Também é necessário estabelecer uma rotina de estudo, para além da aula on-line. Nesse tempo, o aluno deverá realizar leituras complementares, revisar os conteúdos estudados e realizar as atividades de casa.

 

Observe a postura

         Perceber como é a postura e participação do estudante durante as atividades de aula é essencial. Assistir à aula deitado ou sem material para fazer as devidas anotações pode tornar o momento mais desafiador e diminuir a produtividade. O mesmo pode ser dito sobre casos de falta de atenção: utilizar o celular durante a aula ou não assistir apropriadamente às explicações. Antes da aula começar, estimule seu filho a se levantar, se ajeitar, deixar aparelhos distrativos guardados e interagir durante as aulas on-line.

Acompanhe os estudos

         A autonomia precisa ser estimulada, por fazer parte do desenvolvimento do intelecto, da responsabilidade e da confiança. O acompanhamento diário extraescolar deve ser visto como um suporte ao desenvolvimento dessa autonomia. Nesse contexto, a psicóloga alerta: Não é saudável que o adulto faça o que o aluno é capaz de fazer sozinho. Por isso, acompanhe as atividades do seu filho, questione sobre o que foi ensinado, mas sempre permita que o educando se esforce para resolver as questões sozinho.

  

Demonstre interesse

       Ao término do dia de aula, pergunte o que seu filho achou, quais conteúdos foram abordados, o que ele aprendeu, peça para ver anotações e pontue a importância do que ele aprendeu. Também elogie seu filho, coloque como foi seu aproveitamento estando atento à aula. Destaque seu bom comportamento.

 

Estimule o estudo em grupo

    Os ambientes virtuais compartilhados oferecem rapidez para a informação e, consequentemente, para a aprendizagem. Portanto, orientar o estudante a participar dos chats, fóruns e oficinas de estudo, vai auxiliá-lo na manutenção de sua rotina de estudos. Além disso, estimule-o a revisar o conteúdo com os amigos. Grupos de estudo on-line oferecem ricas experiências de aprendizagem, além de intensificar a interação de seu filho com outros jovens da mesma idade.

 

Incentive a responsabilidade

     A responsabilidade deve ser incentivada em todas as idades e pode ser de diferentes maneiras. Desde a organização constante do ambiente de estudo, até a separação dos materiais necessários para a aula, como também o cumprimento dos horários da rotina de estudos.

 

Dose o tempo para outras atividades

        Limitar e intercalar o tempo gasto com atividades diversas como TV, vídeo games e internet é importante para o rendimento escolar. A dosagem dessas atividades ajuda no equilíbrio entre o tempo de brincar e o de estudar. Essas ferramentas também devem ser estimuladas como ferramentas de cunho educativo, proporcionando momentos e experiências de aprendizagem em espaço de lazer.

 

Conversem e façam programas juntos

         É preciso manter um diálogo saudável e demonstrar empatia. Falar sobre o momento em que estamos vivendo, tentar entender junto ao seu filho quais são as maiores dificuldades e pensar maneiras de ajudá-lo a superá-las. Se possível, separe um momento para desenvolver atividades juntos, que possam fortalecer os vínculos afetivos. Um bom bate-papo, um filme em família ou um lanche diferente são gestos que podem suscitar um efeito inimaginável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar