20 de novembro é o Dia da Consciência Negra, comemorado em todo território brasileiro.

A data faz referência ao dia em que Zumbi dos Palmares foi morto no ano de 1695, tempo em que era líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi lutou bravamente para preservar o modo de vida dos africanos que conseguiram fugir da escravidão. A importância da data se encontra no reconhecimento daqueles que são descendentes de africanos na constituição e na construção da nossa sociedade.

No Colégio Marista São Luís não poderia ser diferente, a data foi lembrada e trabalhada. A professora Manuela Martins realizou atividades sobre essa temática junto aos estudantes do 1º ano da Educação Infantil. Abordou também a história do Brasil e trabalhou a diferença de cor da pele.

A professora e as crianças confrontaram a expressão “passa o lápis cor da pele, qual cor”? Utilizando essa frase dita por muitos para comparar os diversos tons de pele, questionou seus estudantes: “Por que se diz ‘lápis cor da pele’ e a resposta sempre é ‘rosinha claro’?” A partir disso, cada criança comparou seu tom de pele com as cores dos lápis e constataram que a expressão não corresponde à realidade, ou seja, não corresponde à diversidade de cor de cada pele.

De forma lúdica, os estudantes do Maristinha aprendem sobre conteúdos importantes e significativos para a construção de uma sociedade justa, fraterna e solidária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar