Identidade e Mística

Quando falamos de mística do processo de educação na fé ou da mística do caminho e do amadurecimento na fé, queremos falar do humano-divino que acontece em nós no caminho da descoberta do seguimento de Jesus. Ele nos convida a viver a plenitude da vida na doação às pessoas. Isso não acontece do dia para a noite, mas aos poucos, em caminhada, como o rio que, aos poucos, se encontra no mar.

O cultivo da mística desse Processo de Educação na Fé, na Pastoral Juvenil Marista, nos conduz por dois caminhos: os lugares bíblicos, que contemplam a vida de Jesus e os lugares maristas, que olham o contexto histórico e humano da vida de Champagnat. São dois cenários que se complementam: neles há humanidade e santidade, sabores e sentidos que podem ser vivenciados.

A Identidade da Pastoral Juvenil Marista é fundamentada e vivida a partir do carisma herdado do fundador São Marcelino Champagnat: ”não se trata da vivência genérica de um grupo de jovens, mas de jovens cuja identidade não está no comunitário, no estudantil, no universitário, no “operário”, mas no Marista. Não se é, simplesmente, participante de grupo, coordenador, animador ou um assessor de grupo de jovens, mas alguém que, além de tudo isso, é Marista na vivência de um carisma específico”[1].

[1] DNPJM, 2006, P. 131.