Há 70 anos atrás, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos para proclamar que todos os seres humanos têm os mesmos direitos, independentemente de raça, cor, religião, gênero, idioma, opiniões políticas, origem ou qualquer outra condição particular. Desde então, 10 de dezembro é lembrado como o Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Para celebrar este importante aniversário, conheceremos a experiência de jovens maristas que viajaram para Nova York e Genebra para participar de eventos das Nações Unidas que promovem os direitos humanos.

Empoderar aqueles que não têm voz

“Vamos favorecer oportunidades para nossos interlocutores compartilharem, participarem da tomada de decisões e, ao mesmo tempo, convidarem crianças e jovens para serem líderes nessa área. “Há mais de dez anos, a Assembleia da Missão Marista de Mendes (Brasil, 2007) fez esse apelo. Convite que repete o XXII Capítulo Geral (Colômbia, 2017) quando afirma que acreditamos “na promoção, proteção e defesa dos direitos das crianças e jovens, e no seu empoderamento como agentes de transformação”.

Sem dúvida, ser líderes, agentes de transformação ou defensores dos direitos humanos é um desafio que começa no dia a dia das crianças e jovens maristas. No entanto, sua voz deve ser ouvida mesmo nos níveis mais altos de discussão e decisão a nível internacional.

O Fórum Político de Alto Nível (HLPF) é a principal plataforma das Nações Unidas para monitorar e revisar os 17 grandes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que marcam a agenda global entre 2015 e 2030. Sofía Toro (Chile) em 2017 e Mariana Díaz e Nadia Lomelí (México) em 2018 viajaram para Nova York para representar neste fórum milhares de jovens maristas da América Latina que desde 2013 estiveram envolvidos na discussão sobre os ODS.

Da mesma forma, Camila Álvarez (Chile), Gabriel dos Santos e Pedro Gouvea (Brasil) representaram em Genebra as 1.700 crianças e jovens maristas de 13 países – da Austrália ao Canadá – que participaram das consultas lideradas pelo Comitê dos Direitos dos Filho das Nações Unidas. Em 28 de setembro de 2018, o Dia do Debate Geral foi realizado para discutir o papel das crianças como defensoras dos direitos humanos.

Veja nesse documento PDF como foi a experiência deles.

Atuação da Província Marista Brasil Centro-Norte

Em compromisso com a garantia de direitos, a Província Marista Brasil Centro-Norte (PMBCN) adota a Política Institucional de Proteção Integral às Crianças e aos Adolescentes. O documento prioriza o cuidado e a segurança do público infanto-juvenil no ambiente escolar. Assim, o texto está organizado a partir de quatro temas centrais: princípios e diretrizes, procedimentos maristas de proteção integral à criança e ao adolescente, fluxograma de atendimento, e, ainda, a atuação do comitê de proteção (critérios e atribuições). Dentre as diretrizes, destacam-se o comprometimento da instituição em denunciar os casos de violência, o sigilo e a confidencialidade, para assegurar a integridade física, moral e psíquica dos denunciantes.

Cada unidade recebeu peças de divulgação, com a política impressa, banner, cartão postal e cartaz. Além disso, o Comitê, responsável pelas ações, promove iniciativas nas redes sociais da Província e formações das equipes por videoconferências e nos encontros provinciais. Além disso, o tema torna-se pauta do calendário de eventos dos colégios e escolas, a exemplo das Jornadas Pastorais Pedagógicas, de 2018 e 2019.

Acesse aqui a biblioteca virtual, com arquivos em PDF, e-books digitais e vídeos acerca do assunto.

Com informações do site Champagnat.org

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar