jaque1

A reforma do ensino médio e a divulgação da terceira versão da Base Nacional Comum Curricular, que está em análise pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), foram temas da videoconferência realizada, nesta terça-feira (18/4), pela Gerência Educacional e Coordenação de Evangelização. Promovida com o intuito de socializar informações e dialogar sobre os temas, propiciou a participação das equipes pedagógicas, administrativas e pastorais das unidades socioeducacionais da Província Marista Brasil Centro-Norte/PMBCN.

Ao abordar a Base Curricular, divulgada no dia 6 de abril, a gerente Educacional, Jaqueline de Jesus, expôs o itinerário de discussão sobre as alterações apresentadas, com os desafios e avanços do percurso. “Como Maristas, devemos conhecer o documento para nos alinharmos à Base, que oferecerá o mapa de competências básicas de aprendizagem, sem esquecermos de nossos conceitos, pois haverá mudanças e movimentos aos quais devemos acompanhar e estar em sintonia”, encorajou a gerente.

No sucessivo diálogo, foram apresentadas as principais mudanças da reforma do ensino médio e o contexto no qual ocorreu. Segundo a gerência educacional, muitas das alterações anunciadas precisam ser detalhadas para se saber como serão operacionalizadas pelas redes de ensino, públicas e particulares. A reforma impactará todas as escolas do país, as quais deverão adaptar-se ao novo modelo que incluirá carga horária ampliada e itinerários formativos, por exemplo. “Estudos e diálogos são fundamentais. Nossa reflexão pode contribuir e não deixará vazio o debate. Devemos nos posicionar a partir dos locais onde estamos, aprendendo e discutindo, sem tomar conclusões ainda, mas, ao mesmo tempo, sem nos retardarmos”, explicou Jaqueline.

A oportunidade também foi ocasião para informar sobre a realização do fórum itinerante a ser promovido na Província. Conforme explicou o coordenador de Evangelização da PMBCN, Ir. Paulo Soares, propiciará ao Marista fortalecer a liderança educacional. “Superando o conceito de escola pastoral para ser escola evangelizadora”, disse o coordenador. O objetivo será debater a reforma com outros atores locais e, principalmente, com os adolescentes e jovens, sujeitos da educação. “Precisamos conversar com os jovens, dando voz a eles e estarmos preparados para ouvir”, afirmou Ir. Paulo Soares.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar