Jogos Geografia (1)

As cartas da Geografia

Brincar, se divertir, viajar por lugares longínquos e aprender um pouco mais sobre a geografia das regiões mais geladas do mundo. E fazer tudo isso usando a própria imaginação e o conteúdo ensinado em sala de aula. Desenvolvido na aula do professor Renato Pequeno, o projeto “Jogos de Estratégia – Regiões Polares” tem como objetivo proporcionar aos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental a oportunidade de conhecer os processos de conquista e as dificuldades enfrentadas nos Polos Norte e Sul, por meio de jogos de tabuleiro.

Para criar os tabuleiros com perguntas e respostas, os estudantes pesquisaram os aspectos gerais das regiões polares, identificando os atores, as dificuldades enfrentadas em sua conquista, além de suas características naturais e econômicas. O próximo passo foi a montagem dos jogos em forma de tabuleiro semelhante ao Banco Imobiliário, Imagem & Ação, War, dentre outros. Os alunos tiveram de mostrar criatividade, pois não foram aceitas cópias de sites ou informações baseadas em uma única fonte de pesquisa e sem bibliografia. O jogo continha um tabuleiro, dois dados de seis faces, cartas de comando com desafios, perguntas, tarefas, manual de instrução com as regras e um texto de apresentação. Tudo foi devidamente entregue em uma caixa organizada.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR A GALERIA DE FOTOS

E o que não faltou foi imaginação. Teve equipe que uniu dois personagens de filmes sobre o gelo e criou um jogo bem divertido.  Em “As aventuras de Jack Frost”, os protagonistas Elsa, de Frozen, e Jack, de A origem dos guardiões, apaixonam-se e enfrentam um vilão que faz de tudo para separá-los. O inimigo de Jack, Breu, captura a princesa do gelo, que fica presa em um iglu. “A proposta do jogo é salvar a Elsa, mas, para isso, é preciso responder a perguntas de verdadeiro ou falso sobre as regiões polares, além de identificar e diferenciar se as informações se referem à  Antártica ou ao Ártico”, esclarece a estudante Eduarda Rocha Niquini, uma das criadoras do jogo, ao comentar que essa não é uma tarefa tão simples, pois Breu é dono de uma empresa petrolífera e derrama petróleo durante o percurso para dificultar ainda mais para os jogadores.

O professor Renato Pequeno explica que a proposta dos jogos estratégicos favorece o aprendizado e promove um clima de leveza ao final de uma etapa longa. “É interessante trabalhar na dinâmica dos jogos. Na reta final do ano, todos os alunos já estão cansados e essa é uma forma de reanimá-los, fazendo com que se sintam motivados a trabalhar e aprender”, argumenta Pequeno. “É muito interessante: quando você monta o jogo e elabora as cartas, você está aprendendo. Quando pensamos em montar o jogo, queríamos fazer algo que agradasse as pessoas, com assuntos de que elas gostassem, se interessassem pela história e quisessem acertar a questão”, finaliza Eduarda Niquini.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar