Ambiente virtual favorece a aprendizagem dos estudantes.

 

Em tempo de isolamento social, decorrente da pandemia do coronavírus, a tecnologia tem sido aliada das famílias no fortalecimento dos vínculos afetivos. Além disso, graças às plataformas digitais, é possível dar continuidade aos estudos e se conectar com o mundo. Google, apps, WhatsApp, Facebook, Instagram, OneDrive, upload, podcast e outros tantos termos passaram a fazer parte da rotina de casa. Mas como potencializar os recursos e utilizá-los de maneira saudável?

A primeira dica aos pais e responsáveis é conhecer as ferramentas tecnológicas. Afinal, assim, podem incentivar o uso e colaborar para que os filhos se sintam à vontade com as novas formas de comunicação. Outro ponto importante é estar atento às redes sociais e aos jogos on-line que, se não bem utilizados, de acordo com a faixas etárias e assuntos, podem trazer desequilíbrios emocionais e cognitivos.

Para o acompanhamento de crianças, adolescentes e jovens, vale sempre o diálogo, franco e compreensivo. Não deixe passar em branco o uso de páginas anônimas, pois estas não ficam registradas no histórico. Bloqueie os sites que tenham, explicitamente, conteúdo inadequado e desaconselhe youtubers ou influenciadores digitais que possam trazer informações e posicionamentos danosos. Muitos pais já seguem a orientação. “Monitoro os sites, confiro conversas e grupos das quais fazem parte e limito tempo e horários de acesso”, lembra Flávia Vieira Cani, mãe de Rafaela Vieira Cani e Gabriela Vieira Cani, do Colégio Marista Colatina, no estado do Espírito Santo.

A posição é compartilhada por Julian e Danuza de Almeida, pais de alunos na mesma unidade educacional. “Tentamos mostrar os benefícios que a tecnologia traz para os nossos filhos, como nesse momento de pandemia, quando nos ajuda a estudar e, ainda, mostrar quão mal ela pode fazer, se não houver supervisão”, destacam.

Também, o cuidado com a saúde dos filhos não deve ser esquecido. É fundamental estabelecer limites de tempo de contato com as ferramentas. O uso prolongado de notebook, celular e tablet, por exemplo, pode causar danos à socialização e à aprendizagem. Vale demonstrar aos pequenos, e não tão pequenos assim, o quanto o contato com o mundo real faz parte da vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar