Em decorrência da pandemia da Covid-19, as aulas nos Colégios Maristas continuam on-line, no Ambiente Virtual de Aprendizagem Marista, em formato interativo similar às aulas presenciais. O ensino mediado cada vez mais pela tecnologia, mas também com novos canais de comunicação abertos entre professores, alunos e sociedade.

Para superar a ansiedade e a procrastinação no dito “novo normal”, os próprios estudantes do ensino fundamental II e do ensino médio pedem momentos de debates sobre temas contemporâneos, rodas de conversa e espaços formativos para além das disciplinas regulares.

Aulões de atualidades, plantões de dúvidas, cinedebates, podcasts e webinars têm ajudado os estudantes a manterem relacionamentos interpessoais positivos, boa performance acadêmica no presente e horizontes de futuro, com foco no projeto de vida.

As atividades promovidas pelos educadores maristas fomentam mais oportunidades de autoconhecimento que potencializam a produtividade nas aulas on-line, com maior incentivo docente à autonomia dos estudantes. O ingrediente de sucesso para  favorecer a motivação para os estudos tem sido a escuta ativa da voz dos adolescentes.

“Nos dias de hoje, com toda a pressão em que vivemos, é muito bom e importante que as escolas forneçam um ambiente no qual os jovens possam se expressar e sentirem que estão sendo ouvidos, e de uma forma mais descontraída e confortável”, conta a estudante Ana Beatriz Pereira Crivano, 16 anos, do 2º ano do ensino médio do Colégio Marista São José – Tijuca, no Rio de Janeiro.

Ansiedade e peso do futuro

Os adolescentes estão numa fase de muitas transformações, de mudanças emocionais e comportamentais. Nesse período, eles tiveram que aprender, a distância e em isolamento social, a como lidar com sentimentos ambivalentes que vão, rapidamente, da intensidade e da alegria das atividades prazerosas até a desmotivação causada pela ansiedade, fazendo aumentar o peso do futuro e do impacto gerado pela evolução da pandemia no País.

“Desde cedo, sentimos que já devemos saber que carreira seguir, mas essa não é a realidade da maioria de nós jovens, portanto, como a escola é um ambiente para nos instruir para a vida e não apenas academicamente, ter criado a plataforma do webinar para nos ajudar e mostrar o que fazer quando nos sentirmos perdidos com relação ao futuro, é extremamente reconfortante”, destaca a estudante.

Autoconhecimento

Além do protagonismo dos estudantes na própria motivação interna, as aulas on-line estão permitindo maior conhecimento sobre a importância da gestão do tempo, da dedicação aos estudos, e o cumprimento de tarefas e metas. Atividades relaxantes, de afetividade e que trabalham a dimensão da espiritualidade também estão sendo percebidas como essenciais na formação integral do ser humano e no preparo para a inserção profissional. “Eu descobri que não me conheço tanto quanto pensava, e ao listar e apresentar alguns de meus pontos fortes, a equipe que participou dos webinars do Marista abriu meus olhos para uma outra profissão que antes eu nem imaginava, mas agora me parece uma boa ideia.

Motivação para os estudos

Para a psicóloga e coach de carreiras Ana Beatriz Luchessi, a ansiedade faz parte dessa fase e foi intensificada na quarentena. Mas é importante saber distribuir o foco e evitar pensamentos limitantes. Comprometimento com os estudos, a capacidade de inovar e se reinventar serão aprendizados importantes que vamos levar dessa quarentena.

“A gente sabe que a ansiedade é excesso de futuro. A gente tem que criar pra gente diferentes focos, e focos positivos! Se você tem capacidade de criar um blog, de desenhar, se você tem algum recurso interno para criar coisas, essa é a hora! A quarentena também é momento para desenvolver competências e habilidades importantes para o mercado de trabalho, e para a faculdade, como a resiliência, determinação, planejamento e habilidade de lidar com frustrações”, afirma.

Os Colégios Maristas buscam oferecer, também on-line, pela plataforma Teams, atividades esportivas, de arte e cultura, e de Pastoral, cuidando de todas as dimensões do ser humano. “Atividade física é importante para algumas substâncias do nosso cérebro, como a endorfina (neuro-hormônio responsável pela sensação de bem-estar, conforto e alegria). Quanto melhor a gente está emocionalmente, a gente responde melhor para estudar, para trabalhar”, recomenda a psicóloga, que integrou os diálogos dos webinars maristas “Ansiedade e dedicação aos estudos em tempos de coronavírus” e “Ações práticas e inovadoras para um projeto de vida de sucesso”.

 

Ana Beatriz Crivano reconhece a importância de projetos que escutam os jovens e geram autoconhecimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limpar formulárioEnviar