História

ANTES DOS MARISTAS – A Sociedade Culto à Ciência, encabeçada pelo vigário Monsenhor Leônidas João Ferreira e o Juiz Dr. Antônio Pinto de Oliveira, foi fundada em 1913, com a finalidade de angariar fundos para se construir um prédio destinado à escola para rapazes. As obras foram concluídas em dois anos (1913-1914). As aulas tiveram início em 1915. Fez-se um acordo com o Colégio Luso-Brasileiro, de Petrópolis/RJ, que durante cinco anos nada pagaria pela utilização da escola. Mas, já no segundo ano de funcionamento, o convênio mostrava dificuldades. Assim, em setembro de 1917, a pedido de Monsenhor Leônidas, os Maristas vieram a Varginha e assumiram o Ginásio Municipal de Varginha.

COM OS IRMÃOS MARISTAS – Dia 4 de fevereiro de 1918, com 97 alunos internos e externos, tiveram início as aulas. A escola mudou de nome, passou a se chamar Ginásio do Sagrado Coração de Jesus. O Colégio teve uma trajetória brilhante, fruto da dedicação e da competência dos Irmãos Maristas, educadores eméritos, brasileiros ou franceses que, por cinqüenta e nove anos, estiveram à frente da escola. Entre eles se destaca o Irmão Mário Esdras, conhecido como o Mestrinho, que de 1920 a 1958 trabalhou em Varginha, onde tem nome de rua e de escola. Outros nomes também são lembrados: Irmãos Ary, Nazário, Braz, Roberto Borges, Eurico.

Em 1976, devido à diminuição de vocações religiosas, os Maristas decidiram reduzir suas escolas e se voltar mais para obras sociais fora de colégios. Isto fez com que deixassem Varginha, Poços de Caldas, São Vicente de Minas e Brasília.

Na capital federal haviam começado um grande colégio, que foi vendido. Os Marista deixaram a cidade de Varginha, mas aqui ficou o prédio do Colégio Coração de Jesus, que eles ampliaram com esforço e determinação; aqui ficaram os numerosos ex-alunos, que deles receberam instrução esmerada e formação sólida; aqui permaneceram seus inúmeros amigos e admiradores. Essas raízes os fizeram voltar e reabrir sua escola, agora com o nome de Colégio Marista de Varginha.

DEPOIS DA SAÍDA – De 1977 a 1996 o prédio e o terreno foram alugados para a Prefeitura. Aí o Estado criou e instalou a Escola Estadual Coração de Jesus e o Conservatório de Música. A própria Prefeitura utilizou parte do terreno para abrigar a Secretaria de Obras. Em 1996, com a ajuda de ex-alunos, em negociação com a Prefeitura, os Irmãos decidiram reabrir sua escola. Aos poucos os alunos da escola estadual foram sendo transferidos para outras escolas. As obras de reforma da parte desocupada do edifício (capela) tiveram início em fevereiro de 1997.

O RETORNO DO MARISTA – No dia 8 de fevereiro de 1999 o Colégio Marista de Varginha iniciou suas aulas. As obras continuaram até julho de 2000, quando foi inaugurado o Centro Marista de Eventos.

No início de 2001 foi lançada a pedra fundamental da nova escola estadual e iniciadas as obras de reforma de um galpão para abrigar o conservatório. Enquanto isso, as duas instituições permaneceram no terreno do Marista, assim como a Secretaria Obras.

O retorno dos Maristas a Varginha, agora sem os Irmãos Maristas, mas com uma equipe de professores leigos, selecionados, capacitados e acompanhados pela Província Marista Brasil Centro Norte, com sede em Brasília/DF, teve numerosíssimas manifestações de apoio pela população varginhense.

A proposta pedagógica Marista, do tempo do Mestrinho e atualizada para os dias de hoje, baseada em valores cristãos, seriedade nos estudos, disciplina e ambiente de família teve ampla aceitação. Esta se revela pelo crescimento das matrículas: 360, 560, 760, 839, 860, 970, 1100, 1130 e 1160 respectivamente em 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2011, 2012, 2013 e 2014. Além disso, o prédio totalmente restaurado voltou a ser um dos cartões postais da cidade.